quinta-feira, 30 de julho de 2015

MEU RIO LINDO

 
 Foto de José Sepúlveda
 
 

Meu Rio Lindo


Nao é desse meu rio que vos falo
O cheiro a alfazema e a perfume
Partiu há muito tempo e eu não calo...
A minha dor à qual não sou imune.

Não vi a boga, o barbo e o escalo
Correr desenfreados em cardume...
Apenas vi um charco imundo e ralo
Fedendo a peixe morto e a estrume!

O rio cristalino, fresco e puro
Desliza em turbilhão, lento inseguro
Para o seu mar ainda lá distante...

E em sua mancha espúria arrasta ainda
Um manto de verdura fresca e linda
Que o segue num cortejo agonizante!

José Sepúlveda