terça-feira, 29 de setembro de 2015

PÉRIPLO POÉTICO


Imagem - Google


Périplo poético 


Com os versos, viajo a mundo paralelo 
Pois este, real, a mim nem sempre agrada...
Lá, há fascinantes bosques... sou a grã fada!
Se aqui me julgam, lá me pertence o martelo...

Me absolvo, de cada frustrado ideal
E concedo, à emoção, uma nova chance 
Tal se vez primeira fosse, e de revanche,
Experencio regozijos sem igual...

Périplo vivo... livre passaporte tenho
E assim o poder de transformar os finais tristes
De mortos sonhos, no que de mais belo existe

Quando retorno, renovada, aqui me empenho
Em recordar a purificante magia
Com que me alimenta a alma, a poesia...

Luciana Nobre