sábado, 17 de outubro de 2015

AMOR E POENTE





Amor e Poente 


Vejo semelhança guardada entre o poente
E aqueles que se juram eternos amantes...
Há luz a aquecer e iluminar semblantes,
Qual a do sol, que embora ido é presente!

Tudo o que aos amores seria distante
Nada mais é senão breve piscar silente...
Quanto mais longe o calor, mais perto e crescente,
A espera e a certeza do próximo instante!

Que dizer da cor rubra, que fugaz perdura,
A denunciar almas e céu flamejantes 
No brilho que arde sem perder a candura?

A sina de estrelas e dos amores puros, 
A vejo tal cristalina quais diamantes,
E plena de amanhãs, mesmo se é escuro!

Luciana Nobre