quinta-feira, 7 de julho de 2016

AZUL-FAIANÇA




AZUL-FAIANÇA
 

Nasce a noite arrastando a lua
(que resplandece por toda a rua
sendo a rainha dentre os astros)
a colocar, cada qual, de rastros.

Ela vem assim altiva... assim nua
e o seu belo brilho mais se acentua
- se não recua! Cor dos alabastros,
navega no espaço a plenos mastros.

Surgem dez mil estrelas que piscam
e, no Universo, belezas elas riscam
portando o mais majestoso encanto.

O esplendor é tanto que o seu manto
me lembra aquela louça azul-faiança
do tempo de vovó quando era criança.
Silvia Regina Costa Lima