segunda-feira, 27 de abril de 2015

QUERO CANTAR


Pintura de Carolina Serpa Marques


“ QUERO CANTAR”


Quero cantar, cantar alegremente,
Como quem solta a mágoa que não quer,
Para viver a vida mais contente,
Fechando a porta a este meu sofrer.

Assim terei em mim sempre presente
Esta vontade louca de viver,
Que me enche de alegria em tom pungente,
Fazendo a minha alma renascer.

Cantando abraço a musa que há em mim,
Desabrochando as rosas do jardim
A onde enterrei minha saudade.

Quero soltar a voz sem nostalgia,
Não quero mais a noite de agonia
Que chega a parecer eternidade.

Abílio Ferradeira de Brito

AMOR À MODA ANTIGA


Imagem -  Bellissime Immagini


AMOR À MODA ANTIGA


 Amor à moda antiga era só um beijo
Numa flor e rubro sorrir bordado.
O que está sempre em moda e que nem vejo.
Amar de coração é que é ser amado.

Num jeito meio desastrado…era vida
Que havia a florir bancos de jardim,
Momento que eternizava pela vida.
Amar de alma é que é pelo tempo jasmim.

Agora o amor confunde-se ao prazer,
Não porque queira e nem sempre se aprende,
Nasce em si. Assim como a flor ele é ser.

Amor à moda antiga também há agora,
Sentimentos floreados que o subentende.
Nasce de si, um beijo que se enamora.

® RÓ MAR


O TEU SEGREDO



Óleo de Pino Daeni 


“O TEU SEGREDO”


Um melro de bico amarelo desperto,
Sentiu-nos a respirar com muito ardor
Sob os laranjais que já estavam em flor;
Iniciou no cimo dum choupo o concerto.

As estrelas para ouvirem de mais perto,
Desceram por uma escada de esplendor;
E a Lua ciumenta, admirada e vermelha,
Diz: estrelas! Não podem sair do coberto!

Tu estremeceste, suspiraste meu amor;
Encostaste a tua boca à minha orelha
E segredaste: faz a brisa fazer Poesia!

O melro versado com muita sabedoria
Captou o milagre que o luar tudo traduz
E fez poemas com as estrelas e sua luz!

Alfredo Costa Pereira


terça-feira, 14 de abril de 2015

SONHOS




“SONHOS”


Sonhos que vêm para a Vida
E nela se tornam a realidade,
Não são sonhos, são Vontade
Que estava em nós escondida!

Desses sim, eu tenho saudade;
Desses sonhos que eu realizei
Ganhando-os a sério, verdade;
Esses, nunca mais os sonharei.

Os outros? Ficarão só comigo
A espreitar aquela outra Vida
Mantendo a minha alma viva,

Guardando-os no seu abrigo!
É que os sonhos são crianças,
Sempre cheios de esperanças.

Alfredo Costa Pereira

O BEIJO

 

O BEIJO


Estimulantes do amor e do desejo,
Se unem uns aos outros sequiosos,
A despertar momentos deleitosos:
Lábios entrelaçados no seu beijo…

São pensamentos quentes, voluptuosos…
Frementes reacções, doce cortejo…
Incontrolado impulso num lampejo,
A incitar desejos misteriosos…

Há neles um sabor indefinível,
Que, provado, se torna irresistível 
E ao mesmo tempo, tão insaciável…

Retemos na memória dos sentidos,
Prazeres inesquecíveis já vividos,
No beijo, sensação incomparável!...

José Manuel Cabrita Neves
 

domingo, 12 de abril de 2015

A VIDA, ASSIM COMO O AMOR, É PASSAGEM


Imagem - Bellissime Immagini


A VIDA, ASSIM COMO O AMOR, É PASSAGEM


A vida tem amor e seus percalços…
Que quais, ardiloso que vem cabear!
São os ventos que arrastam ondas do mar,
Cobiçado o amor, e a areia abre seus braços!

A cousa que modelou o corpo à areia
Era pé de flor, raiz à terna poesia.
Quanto engenho naqueles suaves traços
E se vêem pelos corações aos pedaços!

O tempo assim o quis, um outro amar…
Que nem parou segundos para escutar,
Ainda assim o sabem bem recordar!

Aquela parcela semeada à margem…
Amor d’ alma e tão coração é paisagem!
A vida, assim como o amor, é passagem.

® RÓ MAR

ESTE POBRE CORAÇÃO



Imagem - Bellissime Immagini 


“ ESTE POBRE CORAÇÃO “


Este meu coração a palpitar
Repetindo o teu nome exacerbado,
Sem nunca se cansar de te chamar
Na esp’rança que tu ouças o seu brado.
 
Às vezes acelera o seu pulsar
E desse modo assim acelerado,
Alguém que por ventura o escutar
Dirá que o pobre vive tresloucado.
 
Ó triste coração que não é meu,
Porque se a ti o dei, agora é teu,
Embora neste peito ao meu cuidado.
 
Não sei mais que fazer p’ró acalmar,
Leva dias e noites a chorar,
Sentindo-se por ti abandonado.
 
Abílio Ferradeira de Brito

PEÇA DE XADREZ


PEÇA DE XADREZ



É nos nobres salões dos poderosos,
Que são tomadas grandes decisões!
Determinando a sorte dos peões,
No tabuleiro em jogos ardilosos…

São os seus sentimentos ambições…
Alimentando os seus dias faustosos…
Mantendo os pobres povos esperançosos,
Verbalizando as suas ilusões…

De olhos abertos e ouvidos à escuta,
Passam os dias na sua labuta
Conscientes da sua pequenez

Falsas promessas… Mais um demagogo?
Quando tudo não passa de um jogo
E o povo é uma peça no xadrez!...

José Manuel Cabrita Neves

sábado, 11 de abril de 2015

MEU MAIS QUE TUDO

 
Imagem - Bellissime Immagini
 
 

” MEU MAIS QUE TUDO”

 
Você é mais que tudo, é minha vida,
Você é mais que o Sol e que o Luar,
Você é mais que flor, você é linda,
Por isso, só você eu quero amar.

Você é mais que a luz dos olhos meus,
Bem mais do que a delicia dum manjar,
Você tem perfeição que lhe deu Deus,
Pois só ele é capaz de sublimar.

Você é mais que a Terra, mais que o pão,
Você é mais que o Mar, é mais que o vento,
Meu anjo, querubim, minha paixão.

Você é mais que um sonho, é realidade,
Você é para mim meu grande alento,
Musa dos meus encantos, f’licidade!..

Abílio Ferradeira de Brito

quinta-feira, 9 de abril de 2015

EXPEDIENTES

 
 
 
 

EXPEDIENTES


 Às vezes m’interrogo meio confuso,
Que pensarão da vida certas mentes?
Achando-as levianas, inconscientes,
Que ao suor do trabalho não dão uso…

Nos compromissos fingem estar doentes,
A lamentar-se então, são um abuso!
Só conhecem direitos, eu deduzo ,
Porque aos deveres se mostram indiferentes…

Levam a vida a rir e a brincar!
Errado estarei eu? Chego a pensar,
Por ser sempre correcto e cumpridor ?

Mas enfim, reconheço na verdade,
Que o seu expediente e habilidade,
Dão pra viver sem esforço, inda melhor!...

José Manuel Cabrita Neves 
 

terça-feira, 7 de abril de 2015

QUERO TEUS LÁBIOS NOS MEUS

 
Imagem - Rut, Tomasz - Ecstasy - Sensuality in Art
 

 

Quero teus lábios nos meus


Quero sentir teus lábios, qual Romeu,
Amar-te por inteiro com ternura,
Cingindo-te com força e com loucura,
Levar-te meu amor até ao céu.

Vibrar com teu vibrar, louco prazer,
Sentindo o teu corpo que me implora
Saborear teu pólen toda a hora,
Desabrochar por ti e renascer.

Amanhecer sorrindo em teu regaço,
Sentir o teu calor no meu abraço,
Ouvir-te suspirar de madrugada.

E sempre que o amor por nós chamar,
Amar-te como eu te sei amar,
Até ao despontar de outra alvorada!

Abílio Ferradeira de Brito
 
 

COMETA

 
 
 

COMETA
 

 E, em um determinado momento,
eu me liberto no espaço profundo
vagando no imenso azul do mundo,
a planar com a brisa e com o vento.

Rasgo normas, outras eu reinvento.
Eu sou meu, tão pleno e vagabundo,
viajando em nuvens... nelas afundo
e vou fundo dentro do pensamento.

Ah, feito um cometa de belo aspecto,
eu amo o sonho... a vida... a fantasia
e também o amor que, em ti, detecto.

Eu sou uno, contudo, sou tão diverso,
que me solto em luz e em harmonia,
a te buscar bem no meio do Universo!
 
Silvia Regina Costa Lima
 

quarta-feira, 1 de abril de 2015

SEMPRE...

 
Imagem - Catrin Welz-Stein
 
 

SEMPRE…


Sempre que a noite estica eu idolatro-a
Em lençóis de cambraia que o vento embala;
Ao meu peito se espraia o azul de sua proa
Que me invade a alma e louca fico a amá-la.

Sempre uma outra noite quer romper o dia
Em letras de alfazema e alecrim bordo-a;
Aos meus olhos se beija a lua; tal glória
Que meu coração sente adormecendo-a.

Sempre um novo dia atraca nos meus braços
Em tons pastel transpassa à madrugada
Que nem um sonho que sobejou em laços.

Sempre novo amanhecer, liço real
De laivos perolados surge à abóbada
Que nem rouxinol que encanta o beiral.

® RÓ MAR