sexta-feira, 31 de julho de 2015

O TEU DOCE BEIJO EM ÁGUA DE ROSAS


Imagem - Bellissime Immagini


O TEU DOCE BEIJO EM ÁGUA DE ROSAS


Inventas as manhãs a água de rosas.
Que pele a tua sedosa e tão macia!
Que boca a tua graciosa e tão orgia!
Que olhos de sobrancelhas tão fermosas!

Inventas o perfume à natureza.
Que vento solta o teu loiro cabelo!
Que sol nasce em roseiral de castelo!
Que estação pensa ser a tua beleza!

Menina- flor tem forma a astro- mulher 
Espelhada em rubro rosto que tanto diz!
O teu silêncio é expressão de dia a nascer.

Mulher- amante tantas frases vividas
Em coração e uma rosa pela mão tão feliz!
O teu doce beijo em águas de rosas.

® RÓ MAR

AQUELE TEU MEIGO OLHAR


Imagem do Google


“AQUELE TEU MEIGO OLHAR”


Já ronrona o motor, do pequeno avião; 
Com telas ao sol lá começa a descolar,
E com ele nós ascendemos, a imaginar
Ficar só os dois naquela azul amplidão!

A manhã é divina de um azul virginal;
Como se eleva ao céu fugindo da terra
Em ascensão serena como a águia-real
Sugada por térmica em cima de serra!

E num devaneio pusemo-nos a sonhar
Nas alturas onde a terra parece queijo;
Tudo se enflorou naquele meigo olhar!

No meio do céu com o avião a planar
Em piloto automático demos um beijo.
Durou até à hora de termos de aterrar!

Alfredo Costa Pereira
 

VAZIO


Imagem - Google


Vazio


Este vazio intenso que me cerca
E faz de mim um corpo sem valor
Me está a conduzir a coisa incerta
Que nunca me trará qualquer favor

A falta de vontade é a porta aberta
Pra rumos sem ter rumo e esta dor
Traz sofrimento atroz e não desperta
Qualquer desejo seja p'ra que for

Não sei o que fazer pois na verdade
Não vejo uma saida que a vontade
É coisa que morreu dentro de mim

E sinto que esta falta de sentido
Me faz peregrinar com o perigo
De descobrir que tudo tem seu fim

José Sepúlveda

HOJE CONTINUAMOS COMO DANTES


Arte de Bruno Braddell 


“HOJE CONTINUAMOS COMO DANTES”


Do poente desmaiam manchas 
Vêm cores violetas! São tantas, 
Bóiam doces luzes de mansidão,
Expressamos a nossa gratidão!

Foi deslumbrante afago para nós.
Ao longe uma ave voava em paz, 
A qual por estarmos os dois sós,
Acordou imagens datadas atrás!

E os seres recuaram nos tempos
Quando seguíamos borboletas,
Corações a arder como amantes; 

Que beleza aqueles momentos.
Tu e regatos sorriam aos poetas;
Hoje continuamos como dantes!

Alfredo Costa Pereira

UMA GRAVURA BEM MOLDADA EM TODA A OBRA


Imagem - She is Thinking" By Wawa3761


UMA GRAVURA BEM MOLDADA EM TODA A OBRA


Um olhar bem descaído que tem tudo.
Um frio translucido e um aperto ao coração;
Uma alma grande numa berma de alcatrão;
Um penteado bem vincado que lê o mundo.

Um retrato bem nítido a carvão.
Um lápis a grafite em mina apurada;
Uma palete de cinza, branco e escuridão;
Um pintar de olhar miúdo e saia rodada.

Um artista que esboça um só olhar.
Um esquiço que tem branco de sobra;
Uma modelo bem fêmea para pintar.

Um desenho vivo de muita mão de obra.
Um retrato deleitado em eterna mão;
Uma gravura bem moldada em toda a obra.

® RÓ MAR

quinta-feira, 30 de julho de 2015

MEU RIO LINDO

 
 Foto de José Sepúlveda
 
 

Meu Rio Lindo


Nao é desse meu rio que vos falo
O cheiro a alfazema e a perfume
Partiu há muito tempo e eu não calo...
A minha dor à qual não sou imune.

Não vi a boga, o barbo e o escalo
Correr desenfreados em cardume...
Apenas vi um charco imundo e ralo
Fedendo a peixe morto e a estrume!

O rio cristalino, fresco e puro
Desliza em turbilhão, lento inseguro
Para o seu mar ainda lá distante...

E em sua mancha espúria arrasta ainda
Um manto de verdura fresca e linda
Que o segue num cortejo agonizante!

José Sepúlveda
 

terça-feira, 28 de julho de 2015

PARA TI, MINHA QUERIDA


Arte de Juan Gonzalez Alacreu


“ PARA TI, MINHA QUERIDA”


Abre-se na memória minha
Um grande e muito manso 
Braço de amor, de remanso,
Pelo que me disseste, rainha!

E em mim ainda florescem 
Os grandes actos da tua vida,
Meu amor, minha querida…
Teus quadros me pertencem.

Pintaste as ânsias da verdura, 
Longes, em sombra de poeta, 
E o doce preguiçar da colina!

E no teu olhar cheio ternura
Guardas a tua boca discreta
No teu coração de menina!

Alfredo Costa Pereira
 

AMOR


“ AMOR"


Amor quando, em ti, os olhos, ponho
e vejo o que não vi; nem imaginei.
Separou-se de mim, alma que eu, amei...
tresvariando vou, como se fosse um sonho!

Isto bem pensado, quando me disponho
e me quero afirmar na luta que travei.
Estupefacta, duvidosa do que encontrei…
Todavia…me espanto e me envergonho!

Retornando até vós, amado meu,
Quando me era mister a tua ajuda…
que me vale agora, se o amor já não é teu!?…

Esperando que Deus me acuda
e não me acode, apenas, por ser eu…
ai que o amor por ti morreu e não fecunda.

Maria José Saraiva Gaspar Gonçalves

segunda-feira, 27 de julho de 2015

SORRISO ALEGRE QUE ME FEZ CHORAR


Aguarela de Alberto Lacerda

“SORRISO ALEGRE QUE ME FEZ CHORAR”


Falou o Sol, depois Lua, o Vento
Vinha tão carregado de mistério;
Estava linda a noite e, sonolento
Adormeci, sonhei mesmo a sério,

Que os teus beijos eram prendas;
Embrulhei-as: raios de luz foram
Os fios, com o luar teci as rendas.
Quando meus sonhos terminaram,

Acordaste-me, estava-te a adorar;
Um sorriso, teus olhos cintilaram,
Sorriso alegre que me fez chorar!

O sino tocou, ouvia-se lá de fora;
Com mãos dadas fomos embora
Pelas silvas, com sabor a amora! 

Alfredo Costa Pereira

LIMA - MAR


Imagem – Belissime Immagini 


LIMA - MAR


Lima - mar o presente que espelha a nossa manhã
Acordamos com o verão entre corpos e o amanhã
O amor em leito a dois passos do mar
Refrescamos naturezas em brinde de sóis pelo ar

A beleza presente brilha entre nós demais
Momentos que vivemos entre a areia e o céu
Bocas aromatizadas a hortelã e gelo a derreter - ilhéu -
Os nossos desejos sabem a limas carnais

Suamos de prazeres que a paixão inventa
Entre o mar e tal céu respira-se ar magno de orgasmos
Múltiplos que salgam em nós em pitadas de pimenta

Temos em nós presente que bronzeia o nosso amar
Momentos que brindamos em tais taças de entusiasmos
Línguas ondeadas que fundem nossa praia em lima - mar.

® RÓ MAR

ESPELHO DO POETA


ESPELHO DO POETA
 

Todo o tema que mereça ser escrito
numa página em branco...ou até não,
deve arrastar o que precisa ser dito
abrangendo a nossa sensível emoção.

A palavra serve ao silêncio e ao grito,
é pensamento e é também o coração,
num sentir bendito (ou mesmo maldito) 
que nasce n'alma e desce para a mão.

A palavra é o mágico espelho do poeta 
passando a ser seu roteiro e sua meta 
- a seta mágica que aponta para o céu.

E é o deslizar da pena em sangue e mel
misturado com um sentimento profundo,
que adoça a vida e que aquece o mundo.
 
Silvia Regina Costa Lima

sábado, 25 de julho de 2015

QUE ESTRANHA SENSAÇÃO


Imagem- O amor entre linhas 


QUE ESTRANHA SENSAÇÃO


Que estranha sensação que sem licença quer entrar
Que atrofia o pensamento e tão acelera o coração
Que se sente de dia e de noite até mais não
Que nos faz ora alegres ora a choramingar

Que estranha sensação que pelo corpo alma quer morar
Que segreda vida em lotes felizes de união
Que se beija de dia e de noite em sofreguidão
Que nos faz ora plenos ora loucos de tão amar

Que estranha sensação que arrepia todo o ser 
Que se sente de dia e de noite em tão prazer
Que nos faz ora gente ora sonhadores 

Que estranha sensação que transmuta cores
Que nos faz ora saudade ora comichão
Que uns chamam de amor outros de paixão.

® RÓ MAR

sexta-feira, 24 de julho de 2015

PERDOA AMOR: VOU CONTAR


Arte de Carlos Basto 


“PERDOA AMOR: VOU CONTAR”


Tinhas os teus olhos cheios de ternura
Resguardavas tua boca de humildade;
O teu coração cheio de amor e doçura,
Com mãos sempre repletas de bondade.

Brincavam contigo regatos a salpicar,
Gostavam de ti os espigueiros da serra 
E madressilvas que gostavas de cheirar
Perfumavam-te com a beleza da terra!

Eu era mais alegre quando tu passavas
Tu sorrias para mim, ouvias a Natureza,
E contavas às pessoas com que cruzavas

Os segredos que sabias e não me dizias!
Devagar minha memória com subtileza
Achou pensamentos que me escondias! 
Perdoa amor: vou contar toda essa beleza…

Alfredo Costa Pereira

quarta-feira, 22 de julho de 2015

A ARTE DO SONETO



A ARTE DO SONETO


Se por mero acaso eu algum dia,
Soubesse um pensamento descrever,
Metaforicamente em poesia
E rimas musicais a condizer:

Havia de incutir essa magia,
Que nos embala e faz estremecer,
Pelos sons e beleza que irradia,
Nos corações de quem nos queira ler…

Havia de fazê-lo num soneto,
Essa composição dita rainha,
Por ser mais exigente se correcto!

E havia de senti-la como minha,
Essa arte, meu sonho predilecto,
Que já no sentimento se adivinha!...

José Manuel Cabrita Neves

QUAL DESCREVO EM SAUDADE, MEU QUERIDO


Imagem - Gardenia by Gardenia


QUAL DESCREVO EM SAUDADE, MEU QUERIDO


Que saudade daquele beijo, escondido,
Que fazia a cidade antiga ainda mais linda, 
Que escrevia em doces lábios ao luar juras de amor
Qual me surripiavas em teu glamour.

A noite era querida, e eu adormecida
Em teus braços velozes sonhava tudo,
Aquele dia que seria prometida
Qual eterna mulher em teu precioso mundo.

Que saudade da longura daquela cabine na cidade,
Que fazia o diário à minha mocidade,
Qual em tempo de chuva sentia o coração enamorado;

Qual era mágico e para toda a vida verdade,
Que ainda vivemos muitos anos lado a lado,
Qual descrevo em saudade, meu querido.

® RÓ MAR

terça-feira, 21 de julho de 2015

A TUA MAGIA DE MULHER


 Arte de Juan González Alacreu

“A TUA MAGIA DE MULHER”


Muitas mulheres têm beleza
Nenhuma igual à tua magia!
E a tua voz tem uma riqueza
Que é melhor que a melodia,

Das águas das ondas do mar:
Quando, num encantamento
Sonhando adormece o vento
E as ondas param de cantar,

Eu, lá dentro da minha alma,
Inclino-me, ao encontrar-te
E suspendo-me a escutar-te,

Com a funda emoção calma,
Eu curvo-me à frente do mar,
E as brisas prendem-se no ar!

Alfredo Costa Pereira

MULTIDÕES…

Imagem – Beautiful world. Nature, love, art.
 

MULTIDÕES…


Multidões a morrer à fome, amor
Pálido, que não vêm medicamento,
Pior de tudo, que não vêm alimento.
 Vida em terra de cegos-desamor!

Multidões a implorar para trabalhar
A terem que pedir esmola em ruas, vergonha,
Nítida, lagrimada em rosto, a soluçar.
Vida em terra de quem ainda sonha!

Multidões que labutam em valor nulo por acreditar
Que o mundo mudará e para bem melhor.
Vale a pena viver em esperança a definhar!?

Venha quem vier por bem, fazer amor
Às claras, que assim ouse dividir seu salário!
Multidões a aplaudir milagre ou conto do vigário!?

® RÓ MAR

SIMPLESMENTE AMOR


SIMPLESMENTE AMOR
 

Sussurra (o teu nome) o vento suave
e quebra, sem temor, o silêncio grave
a encrespar a superfície do lago claro
atingindo-me com um sentimento raro.

Murmura (o teu nome) uma doce ave
e é como se uma determinada chave
abrisse sonhada porta (e o anteparo)
trazendo alento... trazendo amparo.

Preparo, sem medo, a minha rendição
em uma espera serena (e sem aflição)
olvidando o pranto... o espanto, a dor.

Pois sei que quando afinal tu chegares
(e que enquanto, assim, tu me amares)
- haverá, em mim, simplesmente amor!

Silvia Regina Costa Lima

segunda-feira, 20 de julho de 2015

SONETO DO AMIGO




Soneto do Amigo


Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com os olhos que contem o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual à mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica... 

Vinícius de Moraes




ROSTO DE MARFIM...


Imagem do Google


ROSTO DE MARFIM…


Num pulcro jardim de rútilas rosas,
Sobre o tálamo de perfumes raros,
Inspiro! Entre belas ditas, formosas...
Entes de olhar puro de sedas e aros…

Céus de mil primaveras sibilantes,
Tombam em doces brisas dementes,
Brados de merengues e ais, amantes…
Loucas bocas! Inda insanas, fermentes!...

Rubor vivo veste inteira a Minh ´alma,
Cerda tecida da mais fina calma, 
Cabelos presos a um laço de cetim…

Nas mãos, o veludo de doce cambraia;
Corpete justo cinge o peito. A saia. 
Que adelgaça meu rosto de marfim.

Helena Martins
 

AMOR AMANTE


Imagem - autor desconhecido


AMOR AMANTE 


Eu quero amor, amar e ser amante,
Nesta louca euforia de te ter,
Quero viver p’ra ti a cada instante,
Enchendo a nossa vida de prazer.

Eu quero amor, amar e ser amante,
Dar-me a ti e teu corpo receber,
Felicidade assim é estonteante,
Que coisas o amor pode fazer!

E nessa onda feita de ternura
A vida se transforma com lisura,
Há ênfase redobrado de bem-qu´rer

Enquanto por ventura dura a chama,
A vida tem fulgor que nos inflama,
Viver sem teu amor, não é viver!

Abílio Ferradeira de Brito

domingo, 19 de julho de 2015

CAMÉLIA SOLITÁRIA


Imagem - autor desconhecido


CAMÉLIA SOLITÁRIA


Eu implorei ao céu muitos sóis
e a amena claridade da manhã;
também, no meu veemente afã,
roguei pelo canto de rouxinóis.

Sonhei com campo de girassóis,
na vivenda onde fosse a castelã
e imaginei acordar, cada manhã,
na maciez dos teus alvos lençóis.

Alma e mente jazem entreabertas
e se ainda não foram descobertas,
são terras agrestes, mas formosas.

Eu sigo silenciosa igual ao voo de ave
que planasse leve em um jardim suave;
e feito camélia solitária entre as rosas.

Silvia Regina Costa Lima

A ÁRVORE DO AMOR


Imagem – Bellissime Immagini 


A ÁRVORE DO AMOR


A árvore do amor é um segredo, colorido,
Com muitos ramos e um ninho pequenino;
É roseira a florir em todo o mundo;
Tem coração de gente e alma a violino;

É rubra por dentro, cereja à face;
Semente que nasce em paz e carinho,
Que se sente pelo vento em enlace,
Às mãos que partilham um só sonho.

A árvore do amor é riqueza nata;
Planta que cresce, pelas humildes primícias
Que vivem ao momento, em serenata;

É nota musical de todas as pautas;
Frutos que fertilizam corações, em sonata,
Que amam pela eternidade esperanças.

® RÓ MAR

sábado, 18 de julho de 2015

MULHER


Imagem - autor desconhecido


MULHER


Mulher, amante, amiga, companheira,
Há nesses teus contornos de beleza,
Uma atracção, um hino à Natureza,
Capaz de produzir certa cegueira…

Não teve, a humanidade, inda a justeza,
De premiar-te a força sobranceira,
Estendendo-te a vermelha passadeira
E render-te elogios de princesa…

Tu que és fonte do amor que gera a vida!
És o carinho, a voz enternecida!
És o colo que embala e cala a dor…

Mereces um lugar de pedestal,
Aonde nunca mais te façam mal,
Pois que tu simbolizas o amor!...

José Manuel Cabrita Neves

sexta-feira, 17 de julho de 2015

A ROSA MAIS LINDA QUE JÁ VI


Imagem - autor desconhecido


“A ROSA MAIS LINDA QUE JÁ VI”


E dei-te um ramo de rosas
Não só por ti, mas por crer
Que assim junto a teu peito
Não podiam empalidecer!

Amor, não sei quem diria
Que é amarga, a tua doçura:
Teu aprazível sabor delicia
Mais do que a fruta madura;

Foi hora mil vezes bendita
Aquela em que te conheci, 
Comigo já a alegria habita;

Quero-te assim, qual to és:
A rosa mais linda que já vi
Desde a cabeça a teus pés!

Alfredo Costa Pereira

A FLOR DO AMOR TEM ASAS QUE CONTEMPLAM A VIDA



Imagem – Belissime Immagini 


A FLOR DO AMOR TEM ASAS QUE CONTEMPLAM A VIDA

Não me sufoques, no teu olhar doentio,
Deixa-me respirar ar de natureza,
Ser alma pelo vento! Ah, quanto fastio
Endossas ao meu coração, que tristeza!

Não te peço que me ames de menos,
Mas, tenho que dizer-te o que tão sinto;
Sim, amo-te demais e assim somos
Tristes almas pela vida que pressinto.

Não me sufoques, no teu pseudo jardim,
Deixa-me viver em roseira madressilva;
Ser coração pelo universo, vive em mim.

Não te peço demais, somente que enxergues:
A flor do amor tem asas que contemplam a vida;
Sim, só tem um botão que tão persegues.

® RÓ MAR

SONETO AO AMOR


Imagem - autor desconhecido


SONETO AO AMOR


Vamos escrever juntos esta poesia 
Relatar em verso uma história de Amor
Para nos podermos lembrar um dia
Não importa em que parte do mundo for

Será um livro com folhas douradas
A capa cravejada de lindos diamantes 
Com todas as folhas a fogo gravadas
Recheadas de poemas fascinantes

Quando terminarmos esta obra prima 
Com todas as frases em total rima
Tu e eu seremos um único coração 

Como uma canção em total sintonia
Fazendo música a esta nossa poesia 
Para um filme de magia e muita paixão 

Paulo Gomes

POIS, PENSO QUE NINGUÉM MERECE ISTO!


Imagem - Inside the Storm 


POIS, PENSO QUE NINGUÉM MERECE ISTO!


Aqui, sentada em ermo desterro,
Namoro o Sol, à espera que ele toque
Pelo desnudo tornozelo em que erro
A palma de uma mão, temendo o choque.

Aqui, olhando defronte, quase sinto
Calma bravura em meu ser ao relento;
Nem penso se o quero em mim e pinto,
Longe de mim, entre a alma que alimento.

O meu corpo troca-se pelo momento
Que, em migalhas de Sol, me sobrevive;
E, ele nem sente quanto sofrimento!

O meu coração abdica à lei em que existo;
Qual lego pela palma da mão, ainda livre,
A alguém; pois, penso que ninguém merece isto!

® RÓ MAR

SINTO-ME LUZ


Imagem - Bellissime Immagini


Sinto-me luz


Tarde de fogo a queimar, sol escarlate
Abraçando, delicado, o horizonte…
Sinto-me luz e cor, música e vate
De um poema triunfal de Anacreonte!

Vejo-me gaivota no mar, sol a queimar-te
Oiço gota de água a gracejar, na fonte,
Sinto-me estrela de fogo em Marte
E o meu corpo disfarçado em monte!

E de bruços me debruço sobre a terra,
Inocente e inflamada que me espera
Até ao dia da eternidade…

Nas coisas luminosas deste mundo
A minha alma é o sepulcro mais fundo
Onde repousam os deuses da saudade!

Maria José Saraiva Gaspar Gonçalves

quinta-feira, 16 de julho de 2015

O TEMPO AMADURECE


Imagem - autor desconhecido


O TEMPO AMADURECE


Porquê estar a sofrer vivendo apenas:
Eventuais supostos, coisas vãs…
Se o sol irrompe todas as manhãs!
Se há noites de luar, calmas, serenas!

Porquê conjecturar negros afãs,
Dar ouvidos a certas cantilenas…
Se há sempre soluções bem mais amenas,
Como afirmam experientes anciãs!

Porquê precipitar : lágrimas, nervos?…
Porquê tais pensamentos em acervos,
Imaginando tristes desenlaces?

O tempo raciocina, amadurece!
O coração perdoa, a mente esquece
E o sereno rubor regressa às faces!...

José Manuel Cabrita Neves
 

SERÁS SEMPRE O MEU AMOR


Aguarela de João Murillo & ldquo


“SERÁS SEMPRE O MEU AMOR”


Querida! Anda ver se a rosa
Que de manhã, tão formosa,
A sua veste airosa e graciosa
De cor purpurina ao sol abriu,

Não perdeu já o seu encanto,
Nem a delicadeza do manto,
Nem sua cor, tão bela quanto,
A que em teu rosto me floriu!

Oh! Vês como a rosa coitada
Jaz por terra, toda desfolhada;
Em poucas deixou de ser flor!

As Primaveras lá vão fugindo
E nossa mocidade excluindo;
Mas serás sempre meu amor! 

Alfredo Costa Pereira

MENINA DO MAR


Imagem - Belissime Immagini 


MENINA DO MAR


Lá, de longe admiro a tua tão beleza,
Pareces-me ser rara flor, menina do mar.
Os meus olhos flertam veste de pureza
Que teu alvo corpo despe em azul luar.

Tenho-te muito perto e tu distante!
Quem te fez assim, um céu flamejante
Que desafia a natureza, menina do mar!?
Pareces-me ser rara alma vagante.

Percebo-te, ao que escuto nesse coração
Que habita entre a areia e as águas do mar,
Até entendo o teu ar de exclamação.

O mundo não foi feito à tua medida!
Quem te quer assim, alma sonhadora, além-mar,
Que prende olhares às ondas pela vida!?

® RÓ MAR

quarta-feira, 15 de julho de 2015

FONTE DE RIMA


Imagem - Google


Fonte da rima


Jardim das carícias regado a carinho,
Entrega e verdade a firmar veredito,
Cobrias de flores, brilhava o caminho,
Sonhado destino na alma prescrito.

A mata garbosa gemia encantada,
Pautada no olhar faiscando de amor.
Os deuses do Olimpo na ata lavrada,
Cunharam o tempo em fulcral esplendor!

Dormia na rede dos sonhos alados,
Lençóis de quimeras no sono embalados,
Estrelas cadentes a ornar a escultura!

Os versos fluíram cingindo a alvorada,
Pintando o horizonte com flores aladas,
Na fonte da rima a beber formosura!

Elair Cabral

MEUS VERSOS...


Pintura: Vladimir Volegov , Russian ( Part 2 )
Atalanta Arts Gallery


Meus versos...


Meus pobres versos ora cinzelados…
Nos veios em flor, a letras de cetim,
São perfume de luar e orvalhos,
Na lágrima que corre dentro de mim…

São prantos dourando a noite repleta,
Chuviscados brilhos de luz e cor…
São sois abertos a lagos de quimera,
Resplandecendo o Coração d´Amor…

Meus versos são eternos fios, serenamente
Tecendo o ser na suave e doce mente,
São flumes e cinza em chama a arder...

São rios que volvem a dor do meu peito,
Pântanos d´azul resplendendo. Feito…
Meus versos são fino Elmo do meu ser!…

Helena Martins

TOTALMENTE


Imagem - autor desconhecido


TOTALMENTE


Vou soltar o nó dos teus segredos,
e terminar com os teus cansaços
Vou te abrigar nos meus abraços,
e acariciar-te com os meus dedos.

Eu vou desmanchar os teus medos,
e recolher tuas dezenas de pedaços.
Vou prender-te entre os meus laços,
... e te resgatar dos teus degredos.

E assim, bem mais que alegremente,
contarei minutos ... dias ... as horas,
pra ter-te: coração... corpo...e mente.

Totalmente!!... e sem nenhum revés,
te darei as minhas noites e auroras,
depositando este Amor aos teus pés!

Silvia Regina Costa Lima
 

A VIDA QUE SONHEI


Imagem- corsolidario


A VIDA QUE SONHEI


A vida que sonhei, me desprezou!
Me fez seguir caminhos bem diferentes…
Caminhos por atalhos, decorrentes,
De alguma vida errante que os trilhou…

A vida que sonhei, tinha latentes
Alegrias que a mente ambicionou,
Mas que o Destino torto não deixou
E como um rio segui outras correntes…

A vida que sonhei, quando inda em flor,
Tinha a ilusão de um mundo com amor,
Onde tudo eram beijos e abraços…

Agora, já passados tantos anos,
Feitos de adversidade e desenganos,
Vejo um sucesso feito de fracassos!...

José Manuel Cabrita Neves

AMOR DA MINHA VIDA


Imagem - autor desconhecido


“ AMOR DA MINHA VIDA “

Porque te quero assim hei – de vencer,
Por mais dura e difícil a batalha,
Ainda que ela possa ser mortalha,
Término deste meu triste viver.

O futuro só Deus pode saber
O que ele determina nunca falha,
O nascer e morrer, no céu se talha,
Ninguém pode essa linha inverter.

Tu és meu grande amor, minha alegria,
O Sol que me aquece e que me guia
Rompendo com a triste escuridão.

Na grande elevação do meu sentir,
Da tua boca amor só quero ouvir
Palavras que me falem de paixão.

Abílio Ferradeira de Brito

terça-feira, 14 de julho de 2015

ENFEITIÇASTE-ME DE AMOR


Pintura retirada do Google


“ENFEITIÇASTE-ME DE AMOR”


Anda a alegria na ventana
Sempre que vem do sol-pôr:
Lá de onde vive a soberana
Que me enfeitiçou de amor!

Lá nos montes, pelas fontes
Pelos pinhais, vais sozinha...
E a cada momento, o vento
Trás o olor da minha Rainha.

Vejo-te nas tenras florinhas
Que dá graça só de as olhar;
Ouço-te até no trilo das aves,

E no cacarejar das galinhas,
Que põem a alegria a voar; 
Aceita amor, beijos suaves!

Alfredo Costa Pereira


sábado, 11 de julho de 2015

QUE A FORÇA DO ABRAÇO VOS CRESÇA EM PAZ!



Imagem – Bellissime Immagini 


QUE A FORÇA DO ABRAÇO VOS CRESÇA EM PAZ!


Pelos dias que são pequenos e sem graça
Ter um ombro amigo é alegria que faz
Multiplicar vidas e diminuir desgraça.
Que a força do abraço vos cresça em paz!

Pelos corações quer reinar harmonia
Que faz multiplicar os mui sonhos,
Diminuir tristeza em luz que alumia
Braços de ser, que erguem vossos caminhos.

Pelo horizonte não há pontes impossíveis,
Os rios rolam em comunhão que faz
Unir gente vária em gestos perceptíveis.

Pelo universo sobejam razões de nobreza
Que nem sábios explicam com certeza.
Que a força do abraço vos cresça em paz!

® RÓ MAR

LEVA-ME CONTIGO


Imagem - autor desconhecido


" LEVA-ME CONTIGO "


Eu quero ir contigo nessa barca
De velas enfunadas ao levante,
Embora que a aragem seja fraca
Havemos de alcançar ilha distante.

Iremos pelo mar de noite e dia
Procurando encontrar felicidade,
Nosso amor será sempre mais valia
E feito de esperança e de verdade.

Se por ventura as vagas se alterarem
E o mar se agite forte e tenebroso
E as velas e os mastros se quebrarem.

Faremos do que reste uma jangada,
Com fé rogando ao todo Poderoso
Que nos leve até à ilha desejada.

Abílio Ferradeira de Brito

sexta-feira, 10 de julho de 2015

ABRIMOS UM AO OUTRO O CORAÇÃO


Aguarela de Bruno Braddell



ABRIMOS UM AO OUTRO O CORAÇÃO


Ao longe, os sobreiros silenciosos
Absorviam o luar com todo carinho,
Enquanto em giros belos, graciosos
As estrelas trocavam de caminho.

O vento cantava baixinho, virtuoso,
Deixando as sinfonias pelos beirais;
Nossos corações não dormiam mais
Imersos num amor doce e mavioso.

E a Lua não nos dava outra solução, 
Senão à luz do seu luar que seduzia,
Abrirmos um ao outro o coração…

Com o vento a trovar outra canção,
Quando lá ao longe a Lua se sumia,
Enfim, o teu primeiro beijo recebia!

Alfredo Costa Pereira

… À PROCURA DE UM LUGAR


Imagem – Bellissime Immagine


… À PROCURA DE UM LUGAR


O dia é cinza entre as pedras da calçada;
O sorriso é de lima apodrecida pela vida;
A alma é de um mundo que teima em não amar;
E, lá vai ela à procura de um lugar.

Há lugares que não a amam de verdade;
O coração prende à nesga saudade;
O relógio atrasado que não vê a hora;
E, lá vai ela aparando o olhar que chora.

A vida não é um descanso permanente;
O tempo não é cadeira contrapartida;
O mundo nem sempre é lugar sorridente.

O dia é cinza entre as entranhas dela e os pés
Cálices enfermos que flagram vida;
E, lá vai ela pela rua de um coração rés.

® RÓ MAR