terça-feira, 25 de agosto de 2015

PORQUE NA VIDA NOS LIGA O AMOR



Pintura de Florença Harrison 


“PORQUE NA VIDA NOS LIGA O AMOR”


Á tua prosa prefiro meu verso,
Se bem que a ame com ternura.
Mas no belo eterno do Universo,
Verso tem mais brilho, candura!

Fala-nos à alma, ao sentimento;
Tem graça e leveza, preciosas!
Mas gosto de todas as prosas
Se definem um pensamento!

Tua prosa é fluente e de primor;
É-me grato saboreá-la devagar,
E tem estilo para eu a guardar.

Porque na vida nos liga o amor
Meus versos trazem a ventura
E a tua prosa traz-me frescura!

Alfredo Costa Pereira
 

ROSA E A CHUVA...


Imagem - Google


ROSA E A CHUVA...



Na pétala quente nascida em agruras,
Ao sol escaldante da seca voraz,
Pedia clemência pra sua secura,
Pois nem o orvalho seria eficaz.

A nuvem passava e esquecia da rosa,
Tremendo de sede tombava no chão,
E a chuva do amor deixou de ser chorosa,
Formando um deserto no seu coração.

A mãe natureza escutou seu pedido,
Chorou sobre a flor de destino bandido,
Gravando à moldura um fluído frescor.

E assim quando a chuva caiu sobre ela,
Surgiu com fulgor a paisagem mais bela,
A rosa e a chuva em fascínio de amor.

Elair Cabral 

À JANELA DE UM SÓ AMAR


Imagem - Art of God and Nature 


À JANELA DE UM SÓ AMAR


Esta noite sonhei contigo, amor;
Eram estrelas doirando meu olhar;
Era a imagem da lua cheia em azul mar;
Era o teu beijo em meu ser: céu pleno em flor.

Esta noite havia amendoeiras rosa-flor,
Pássaros, em meus ombros empoleirados,
Cantando primavera em mui fervor;
Era o teu abraço em meu ser: jardins floreados.

Esta noite aqui vieste, em meu dormir,
E ficaste assim, em mim a sonhar;
Deixaste o doce vento em meu acordar;

Esta manhã senti a brisa a partir
E fiquei a recordar teu brilho, ao olhar
O sereno mar, à janela de um só amar.

® RÓ MAR

PAPOULA


Imagem - Google


Papoula


Fui-te encontrar tão pura, tão brilhante,
Esvoaçando ao sol, ao frio, ao vento,
Num prado avermelhado, verdejante,
Inspiração do nosso pensamento!

Papoula linda, és em cada instante
Fragilidade, cor e sentimento,
Caricia aveludada e elegante, 
Em pétalas levada num momento

Delicadeza e luz, quanta beleza,
Na tua concepção! Tenho a certeza
Que quando já nas mãos do Criador

Ele te olhou com seu tão meigo olhar,
Beijou-te com amor e que ao soprar
Sorriu ao ver-te ir em liberdade!

José Sepúlveda

A MARESIA


Imagem - Google


A MARESIA


Absorvo junto ao mar a fresca brisa,
Com um sabor a sal, da maresia…
Sensação que deleita, que extasia;
Afago que no rosto enfim desliza!

Dá uma paz que acalma e delicia!
Um conforto que o ego realiza…
Aquela breve pausa que é precisa,
Para retemperar do dia-a-dia!

Na massa de água imensa, estendo o olhar,
Deixando o subconsciente imaginar
O que fica pra lá do pensamento…

Há, no fundo, mistérios infinitos,
Fazendo adivinhar monstros e mitos,
Enquanto as ondas brincam com o vento!...

José Manuel Cabrita Neves
 

A MINHA NAU


Imagem - Google


A MINHA NAU


Minha nau naufragou, submergiu
Num mar de devaneios se afundou,
Agora que fiquei sem meu navio
Vivo num desvario, não sei quem sou,

Rumava mar a dentro a toda a vela
Em busca de outra sorte, outro quadrante,
O meu sonho de amor se foi com ela,
Pla minha Cinderela fui trovante.

Não sei mais que fazer à minha vida,
O meu destino agreste foi mais forte,
Sinto-me a terminar esta corrida.

Aninha-me em teus braços meu amor,
Vamos vivificar nossos desejos,
Havemos de encontrar sorte melhor.

Abílio Ferradeira de Brito

MEUS VERSOS... MEUS SONETOS


Imagem - Google


Meus Versos… Meus Sonetos


Cinzelo estes meus versos em sonetos
A tinta que se esvai do coração,
No recanto de silêncios e guetos
Que me assola de enlevo e de paixão…


Coroo-os de enflores e de inocência...
Sob o mote - a alvura das madrugadas,
Competem vítreo sentir à existência...
As poesias em meu peito flamejadas…

Ó mil sonetos de risos e prantos
Na fúcsia curva de etéreos mantos
Nitentes em meu seio por escrever! 

Sois beijo para a minha alma em flor
Que se aflora tão perene de amor
Louvando a feliz prece do viver!

domingo, 9 de agosto de 2015

PARAÍSO QUE NOS INSPIRA SAUDADE


Imagem – Belissime Immagini 


PARAÍSO QUE NOS INSPIRA SAUDADE


A praia pelo fim da tarde 
É poema que é só nosso;
É arco-íris de felicidade
De sete cores, um amor colosso.

A areia é fina e moldada,
Dedilhada pela larga borboleta,
Pelo nosso amor gravada 
Em coração de mar magenta.

A praia pelo fim da tarde
É paisagem nossa extasiante;
É pôr-do-sol em mar penetrante.

A areia é reflexa, à nossa vida,
Ao luar em noite amada,
Paraíso que nos inspira saudade.

® RÓ MAR

SONHA-ME TU EM NOITE CALMA”



“SONHA-ME TU EM NOITE CALMA”


Talvez um dia! Quem sabe!? Um dia talvez!
Te envolva no silêncio dos meus gritos.
Silêncios que gritam em mim, tanta vez…
Talvez…te ame em silêncios aflitos…

Talvez tu sejas aquele sonho em altivez,
Quem sabe se serão mitos!?
Ou talvez fábulas desta minha pequenez
Que me envolve em sonhos…esquisitos…

Talvez sejas a sombra que me persegue,
A melancolia, deste sonho, breve
Que me indulta, este pensamento louco…

Escrevo silêncios que me mordem a alma
“Sonha-me tu em noite calma”
E eu talvez te ame…mais um pouco!

Maria José Saraiva Gaspar Gonçalves

À GENTE DO MAR


Arte de Juan González Alacreu 


“À GENTE DO MAR”


Foi o barco para a pesca
Por tarde quente de estio
Que vento norte refresca
Regressando quase vazio!

Muitas lágrimas salgadas
Tombam na água do mar
Ficando umas congeladas
Que no fundo vão poisar.

Pérolas, as filhas da dor
Da pobre gente do mar
A qual fome vai passar!

Lágrimas que no labor,
São por vezes choradas
Por vidas desventuradas!

Alfredo Costa Pereira

ADVENTOS D' ESPERANÇA...


Imagem - Google


Adventos d´Esperança…


Diante os Céus meu olhar se alisou
Mirar infindo, fitar abismado,
Distado o momento a mais, após dado 
E a nitente esfera que alcançou…

Ao celeste vendo vinda a Criatura
Os tristes e os pobres, e os esquecidos…
Todo o ser no Reino da Candura
Tem assento na ordem dos vencidos…

Ajoelho-me aos pés do Divo Criador 
E rogo pra todo o Mundo em torpor
Enxergar a fraternidade e a quietude…

Reinventar-se em Amor feito criança;
Vendo Deus nos adventos d´ Esperança…
Minh ´Alma se aplaca na plenitude!

Helena Martins
 

A NOITE QUE VIOLETA CEIA!


Imagem – Bellissime Immagini


A NOITE QUE VIOLETA CEIA!


A maré está vazia,
A lua tem face cheia;
A noite que violeta ceia,
Não tenho mais poesia!

O luar tem negro olhar,
O mar treme de frio;
A noite que escuro ímpar,
Não vejo mais seu brio!

Tropeço em madrugada
Que me tem acordado,
O vento que denotado!

A terra está pasmada;
Não quero mais vida feia,
A noite que violeta ceia!

® RÓ MAR

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

VESTIDO VERMELHO


Imagem - Google


VESTIDO VERMELHO



Vestido vermelho fascínio proclama,
Faísca no corpo, desperta paixões.
Fervura da alma o delírio derrama,
Renega o perigo a pulsar corações.

Brilhante poder, tentação e quimera,
Dançar provocante não age consciente,
Apenas carrega a marca da fera,
Da cor do pecado, tutora inocente.

Poder e calor têm olhares no alcance,
E segue esvoaçante adversa ao romance,
No corpo que dorme a margem da cor.

Desponta energia e reponta o desejo,
Vermelho no corpo é fogo de um beijo,
Olhar de paixão, desvestido de amor.

Elair Cabral

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

SÓ PARA NÓS DOIS


Escultura de Antônio Canova


“SÓ PARA NÓS DOIS”


Da tua garganta
Voz de rouxinol,
O tom Lá bemol
Seduz e encanta.

Na beleza, graça,
Extasia, arrebata,
Sonhos esvoaça,
Em luar de prata.

Quando tu cantas
Vem uma poesia
E traz harmonia;

Fizeste às tantas
Só para nós dois,
Voarmos depois!

Alfredo Costa Pereira

OLHOS TEUS SÃO SEVEROS OLHARES


Imagem- Il potere dei pensieri 


OLHOS TEUS SÃO SEVEROS OLHARES


Todos os lugares são mais, incomodam,
Têm um brilho que sufoca e um adeus 
Que prende a alma ao céu do coração;
Têm a visão encandeada em olhos teus.

Todos os lugares são jardim deserto,
Têm sombras múltiplas que se passeiam,
Que assoleiam o corpo em éden incerto;
Têm a ilusão estampada de que amam.

Entre o lato sentido de todos os lugares
E o sol experto de tantas direções 
Olhos meus cegam de tantos olhares.

Entre o deserto de todos os lugares
E a luminescência de tantas sensações
Olhos teus são severos olhares.

® RÓ MAR

domingo, 2 de agosto de 2015

QUANDO A SAUDADE ME CHAMA

 
Arte da aguarelista LUCI BROGLIATO BRANDIMILLER


“QUANDO A SAUDADE ME CHAMA”


Quando saudade do passado
Me chama para ir prevenido
Àquele caminho conhecido,
Às vezes lá volto, encantado.

Ainda nascem sobre tua casa 
Sorrindo, as mesmas estrelas
Que iluminaram como velas
Nossos corações em brasa…

E sobre as árvores dispersas
A mesma lua ainda desponta, 
A que os nossos beijos viu, 

Que ouviu nossas conversas
E segredos vezes sem conta,
E a nossos abraços assistiu!

Alfredo Costa Pereira
 

AMANHÃ SEI QUE ÉS A MINHA OUTRA VIDA


Imagem – Bellissime Immagini 


AMANHÃ SEI QUE ÉS A MINHA OUTRA VIDA


Amanhã sei que és minha flor de luz:
O meu vasto universo em pleno direito;
A minha tão soberba fonte em leito;
A minha tão serena e eterna cruz.

Amanhã sei que és meu presente dia:
O meu vasto astro em plena manhã;
A minha tão dama casta em poesia;
A minha tão adorada e amante aldeã.

Amanhã sei que és meu futuro sóror de jardim:
O meu vasto perfume em pleno ser;
A minha tão sonhada a cobiçado marfim.

Amanhã sei que és a minha outra vida:
O meu vasto reino em pleno rejuvenescer;
A minha tão alma em coração nascida.

® RÓ MAR

ACORDAR COM A NATUREZA


Arte de dreamstime.com 


“ACORDAR COM A NATUREZA”


Da natureza a energia
Nasce à luz da aurora,
Cedendo a noite ao dia
E o luar ao sol, agora. 

E logo que despontam 
Luzes vêm as alegrias!
Pelos ares, as cotovias 
Entusiasmadas cantam;

E o seu canto é ouvido:
Toda aquela pardalada
Salta a voar dos ninhos.

Os trilos do pintassilgo 
Os pardais em revoada
Acordam-nos sozinhos!

Alfredo Costa Pereira