segunda-feira, 18 de maio de 2015

MÃOS DE FLOR ABERTAS...

 
Imagem do Google

Mãos de flor abertas…


Cascatas de luz da essência escorrendo…
Mãos de flor abertas de singeleza;
Minha alma gentil se enobrece vendo
Quão belos são os gestos da nobreza…

Raras pétalas do cerne vão doando…
Qual sinfonia de Bach na leveza
De mil penas em mil asas voando...
Por mil hortos de sonho e beleza.

Ó vergéis verdejantes de sintonias!...
Cantos de poetas e suas idiossincrasias…
Desnudando ténue o meu peito ardente!…

Na alma minha que sempre ri e chora…
Um espírito esbelto se solta, agora…
Na lágrima que ora cai docemente!...

Helena Martins