terça-feira, 27 de outubro de 2015

ETERNO VIOLINO


Ilustração obra de: Claude Buck


ETERNO VIOLINO


Que seja eterno, esse velho violino
Alma de acordes, belos, melodiosos
Com a magia do seu som tão divino
Vou no sonho pra mundos virtuosos.

Que seja eterno o seu som precioso,
Que alimenta, o meu espírito imortal
Som de valsa que vibra em ti fogoso
E faz adormecer o meu ser celestial.

Que sejam eternas as suas melodias
Extraídas das finas cordas vibrantes
Como eternas sejam essas poesias.

Escritas na noite por poetas errantes,
Antes e depois da alvorada dos dias,
Ao som de músicas, deslumbrantes.

Joaquim Jorge de Oliveira