sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

EU CANTO O AMOR





Eu canto o amor


O verdadeiro amor jamais fenece
e sobrevive além da eternidade,
enflora sempre em forma de saudade
e mesmo na silente e terna prece.

Jamais em nossa vida se arrefece
o vero amor. E nada um dia há de
quebrar o seu encanto. E na verdade
um grande amor ninguém na vida esquece.

É como o sol, renasce a cada dia
e aquece a nossa alma. É luz, poesia
cantada por graciosos passarinhos.

Por isso eu canto o amor. E canto e canto
para louvar o seu fulgor, encanto
sempre a juncar de versos meus caminhos.

Edir Pina de barros