sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

O TEMPO AMADURECE





O TEMPO AMADURECE


Porquê estar a sofrer vivendo apenas:
Eventuais supostos, coisas vãs…
Se o sol irrompe todas as manhãs!
Se há noites de luar, calmas, serenas!

Porquê conjecturar negros afãs,
Dar ouvidos a certas cantilenas…
Se há sempre soluções bem mais amenas,
Como afirmam experientes anciãs!

Porquê precipitar: lágrimas, nervos?…
Porquê tais pensamentos em acervos,
Imaginando tristes desenlaces?

O tempo raciocina, amadurece!
O coração perdoa, a mente esquece
E o sereno rubor regressa às faces!...

José Manuel Cabrita Neves