segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

RESPIRAMOS MEIOS-DIAS





RESPIRAMOS MEIOS-DIAS


Porque me tens acesa, em entrelinhas,
Numa alma que sussurra que ainda me sonhas,
Escrevendo desejos nivelados ao horizonte,
Abraçando os lençóis vazios de mais uma noite!?

Porque me inventas, em palavras ocultas,
Quando te procuro e tanto me escusas!?
Que deixa é essa, que não me deixa livre
Para continuar o diálogo tão simples sempre,

Não são essas as palavras a dizer!
Temos muitos sentimentos nos olhares
Que morem de saudades por não ser!

Momentos…e, respiramos meios-dias,
Vivendo a labareda de amores,
Amuando o tempo em tristes melodias!

© RÓ MAR