quarta-feira, 8 de julho de 2015

CORAÇÃO TROCADO







CORAÇÃO TROCADO


Eu sinto um coração, mas eu não sei,
A forma como eu possa explicar,
O meu não pode ser porque te dei,
Só pode ser o teu no seu lugar.

Bate tão impetuoso, bem se vê,
Parece do meu peito qu’rer saltar,
Foi com elos de amor que o amarrei,
Não vá ele fugir e não voltar.

Tristonho vai chorando tão sozinho
As mágoas de estar longe abandonado
Perdido no silêncio do seu ninho.

Entregue à saudade vai vivendo,
Não para de chorar o desgraçado,
É pelo meu que chora, bem entendo!

Abílio Ferradeira de Brito