segunda-feira, 22 de setembro de 2014

O SONHO DO SONETO


    Imagem - autor desconhecido


    O SONHO DO SONETO 


    Sonhei-me numa ponte sem saída
    Rodeada pela terra e pelo mar
    Com um horizonte para desbravar
      E uma alma imensa muito retraída.

    Ingénuo peregrino de partida
    No tremular da luz a despertar 
    Pressenti minhas asas fraquejar
    Neste destino exposto à minha vida.

    Solicitei à musa o seu favor
    E aos meus sentidos outras emoções
    Destilando um prazer e um vigor.

    Envolto na volúpia das paixões
    Meus versos renasceram com fulgor
    Fazendo-me acalmar as convulsões.

    E eis-me aqui Soneto renovado
    Num oceano com novas dimensões
    E um outro poema agora sublimado!

    Frassino Machado