quarta-feira, 4 de junho de 2014

RIOS D' AZUL, SUSPENSO...



 Imagem do Google


Rios d´azul, suspenso…


Dispersos, bem longe, do horizonte,
Lá, onde luares d´oiro correm intenso…
Eternos bálsamos vazam da fonte,
Prateada de mar - rios d´azul, suspenso…

Ampla, vaga, solta nos raios de um céu...
Minh ´alma absorvida - ora - vive rara,
Entorpecida, ala nas asas do véu…
Que sobre meu corpo, inerte, tombara…

Ah, sátira que no infinito aclamas,
Meu ser! enfim, tuas safiras são chamas
Cravando meu peito - tiaras ateadas!... 

Teus laivos vertidos são prantos... tais...
Com engenho, brotando. Mil bonsais…
Nas pétalas do olhar de musas amadas!...

Helena Martins