sexta-feira, 23 de maio de 2014

CRUZA EM MIM OS TEUS BRAÇOS DE LEVE






“CRUZA EM MIM OS TEUS BRAÇOS DE LEVE”



Abraça-me o pescoço com tuas mãos até ao cotovelo!
E deixa o vento da tarde brincar como teu cabelo.
A agitação na minha a...lma verte lágrimas de emoção,
Porque ainda nem sequer beijei as costas da tua mão!

Falas-me com a tua boca, de lábios cor-de-rosa; 
Eu sorrio como um lírio nas mãos de uma criança
Semeando no horizonte golfadas de esperança!
Abraça-me e envolve o meu pescoço, silenciosa.

Sê meiga comigo para não ficar na ambiguidade!
Lembra que as rosas gostam do rubor da madrugada,
Mas se o sol lhes queima as pétalas por deslealdade,

Deixam a flor desmoronar e afastam-se de enfiada 
Para murcharem, agonizando, morrendo em breve!
Quero-te amor! Cruza em mim os teus braços de leve!

Alfredo Costa Pereira