quinta-feira, 22 de maio de 2014

VEM DEPRESSA, AMOR



Pintura de Cristina Jacó


 “VEM DEPRESSA, AMOR”


Cheio de sonhos de amor deixo as rosas do prado.
Pois é por ti, querida violeta, que estou apaixonado!
Levo a vida a beber do teu perfume, és modesta.
As rosas são vaidosas, não cabem na minha cesta!

Embora vivas na sombra, amo-te mais do que rosas.
As borboletas vivem de sol e de flores, as mariposas.
Eu cativo o aroma e o néctar do teu amor aos molhos.
Dá-me o teu mel violeta, quero o sol dos teus olhos!

E se tu, amor, em chama igual também te abrasas
Oh! …Não me tardes, não me tardes, vem!
Nós viveremos noutro mundo…além!

Vem depressa, minha vida foge, quase me arrasas!
Meu amor é grande e belo como é grande o mar,
Tem a sonoridade do harpejo, antes da corda quebrar!

Alfredo Costa Pereira