segunda-feira, 21 de julho de 2014

OUTROS TEMPOS…


Foto : candeeiro a petróleo



OUTROS TEMPOS…


Nasci fora de prazo, era o gaiato…
Mal comecei a andar, já trabalhava!
Tarefas de menina que a mãe dava,
Que nem sequer achava caricato!...

Varrer a casa, dar comer ao gato,
Dar hortaliça ao porco, que adorava!
Acompanhar a vaca que pastava
E dar milho às galinhas e ao pato.

Cansado de andar, vindo da escola,
Dava só alguns toques numa bola,
Chegando logo a hora do dever…

Ia estudar mas só depois da ceia,
À luz de um candeeiro de aldeia
E assim me fiz um homem a valer!

José Manuel Cabrita Neves