quinta-feira, 7 de agosto de 2014

FOLHAS DE OUTONO



Aguarela de pintor desconhecido 



“FOLHAS DE OUTONO”


Já dispersas e perdidas, ao abandono,
Folhas das árvores caídas no Outono,
Lembranças tão tristes de curtas vidas,
Rolam agora pelo chão, emurchecidas!

Todas deram sua sombra, aqui e acolá.
E quantos amores e sonhos e desejos,
Quantas paixões os milhares de beijos,
Quando ainda nas árvores,não viram já!

O Inverno, lança-as para as enxurradas,
Lá vão aos caprichos da água corrente;
Vemo-las agoniar, e ninguém as sente!

Mas tenho apego, às folhas pintadas!
Foram o cobertor do teu corpo em flor,
E nelas entrelaçamos o nosso amor!

Alfredo Costa Pereira