sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O CAVADOR


Foto: images cavador


O CAVADOR


No teu rosto enrugado e ressequido,
Há marcas de uma vida torturada…
Há histórias de pobreza envergonhada,
Há um tempo passado e não vivido…

No teu olhar distante há um sentido,
De uma vida diferente, uma outra estrada!
Um sonho que acordou na madrugada,
Dessa esp’rança que tinhas perseguido…

Nas tuas mãos os calos de uma enxada,
São a prova da luta pelo pão,
Em troca de uma mão cheia de nada…

Aos filhos dás carinhos ao serão,
Afagos de mão rude e calejada,
Mas com todo o amor do coração!...

José Manuel Cabrita Neves