segunda-feira, 25 de agosto de 2014

TU ÉS "NÃO SEI COMO” E “NÃO SEI QUÊ”


Pintura de Berthe Morisot


TU ÉS "NÃO SEI COMO” E “NÃO SEI QUÊ”


Se os anos que vêm forem como se prevê,
Ela, o meu amor, ainda mais me agradará;
Sim, porque só eu sei que em toda ela há,
Um “não sei como” e um “não sei quê”!...

Enfeitiçaste-me logo com o teu olhar,
Mal nos demos, por acaso, a conhecer.
E se a outros pareces uma mulher vulgar,
Tu para mim és…,“não sei como” o dizer!...


E é por isso que eu nunca fico a cismar,
Quando te pões em silêncio, sem falar.
E, sendo a tua voz bonita e harmoniosa,

Nos teus silêncios, eu vejo um “não sei quê”, 
Um mágico encanto feiticeiro, és amorosa!
És de facto, ”não sei como” e “não sei quê”!

Alfredo Costa Pereira